Atualizado 11/10/2017

Número de focos do Aedes aegypti cresce 43% em 2017 em SC

A Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (Dive) divulgou o boletim número 20 sobre a situação da vigilância entomológica do Aedes aegypti e a situação epidemiológica da dengue, febre de chikungunya e zika vírus, com dados até a Semana Epidemiológica (SE) 39, desde 1º de janeiro a 30 de setembro.

No período de 01/01 a 30/09, foram identificados 8.981 focos do mosquito Aedes aegypti, em 139 municípios. Neste mesmo período, em 2016, haviam sido identificados 6.255 focos em 132 municípios. O número de focos de 2017 é 43,6% maior quando comparado ao mesmo período do ano de 2016.

Confira os municípios que estão infestados com focos, segundo a Dive:

Águas de Chapecó, Águas Frias, Anchieta, Balneário Camboriú, Bandeirante, Bom Jesus, Brusque, Caibi, Camboriú, Campo Erê, Catanduvas, Caxambu do Sul, Chapecó, Cordilheira Alta, Coronel Freitas, Coronel Martins, Cunha Porã, Descanso, Dionísio Cerqueira, Formosa do Sul, Florianópolis, Galvão, Guaraciaba, Guarujá do Sul, Iporã do Oeste, Itajaí, Itapema, Itapiranga, Ipuaçu, Joinville, Jupiá, Maravilha, Modelo, Mondaí, Navegantes, Nova Erechim, Nova Itaberaba, Novo Horizonte, Palma Sola, Palmitos, Paraíso, Passo de Torres, Pinhalzinho, Planalto Alegre, Princesa, Porto União, Quilombo, São Bernardino, São Carlos, São Domingos, São José, São José do Cedro, São Lourenço do Oeste, São Miguel do Oeste, Saudades, Seara, Serra Alta, Sul Brasil, União do Oeste, Xanxerê e Xaxim.

Em relação à situação entomológica, até a SE nº 39/2017, já são 61 municípios considerados infestados, o que representa um incremento de 22% em relação ao mesmo período de 2016, que registrou 50 municípios nessa condição.

© Copyright 2017 - Rede Nossa Rádio, Todos os direitos reservados Desenvolvido por HZ Soluções